Aprenda a priorizar

shutterstock_256307755.jpg

Lembremos que o stress não é uma doença. Na sua origem, foi e continua sendo uma poderosa e útil ferramenta de ajustamento do macaco-caçador às ameaças inesperadas.

O problema está no estilo de vida que escolhemos: repleto de compromissos com datas-limite, comendo mal, desprovidos de exercícios, trabalhando em finais de semana, desrespeitando o espaço vital das pessoas que amamos e permitindo que invadam o nosso.

Por isso, é importante fazermos uma reavaliação no nosso life style e principiarmos um processo de modificações de costumes, que nos conduza a gerenciar as situações de pressão.

Existem, ainda, aquelas sugestões que são consenso entre os especialistas e profissionais da área, que devem ser adotadas para uma melhor qualidade de vida e gestão do stress.

Somente aquele que prioriza seus afazeres é que tem consciência do valor do tempo. Jamais poderemos satisfazer todas as solicitações que a nós são dirigidas, ou aquelas auto-impostas. Isso frustra. Saber separar o que é imprescindível daquilo que é efetivamente importante, destacando-o do transferível, e do que pode ser cancelável, faz toda a diferença.

Para tanto, é essencial conhecer-se. Mergulhar na realidade interna. Encontrar aspirações mais profundas. Quem não consegue identificar o tamanho e a forma dos seus sonhos, não saberá reconhecer onde e quando aplicar suas habilidades, seus talentos e suas qualidades. E, assim, corre o risco de preencher o tempo (a vida) com escolhas e ações equivocadas.

É importante fazer uma revisão na maneira de estar no mundo e, a partir de uma profunda reflexão, iniciar um processo de mudanças de hábitos, substituindo-os por outros mais inteligentes, que nos proporcionem uma sensação perene de bem-estar, saúde e alegria de viver.

Texto extraído do livro “O Método DeRose e a gestão do stress” de Joris Marengo.